BANNER

.: Twitter do Blog :.

Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Portela 2012

A Portela fez um bom desfile na Sapucaí falando sobre a Bahia com um belíssimo samba-enredo tinha tudo para levar o título, mais ficou devendo na parte plástica da escola que deixou a desejar, a escola ficou em 6º lugar.

Ficha Técnica:


Em 1923, existiam em Osvaldo Cruz, subúrbio da Central do Brasil, os blocos carnavalescosBaianinhas de Osvaldo Cruz e Quem fala de nós come mosca, o primeiro formado por adultos, entre eles Galdino Marcelino dos Santos, Antônio Caetano, Antônio Rufino, Candinho - primeiro mestre de canto (hoje o puxador do samba) - e Paulo Benjamim de Oliveira, o Paulo da Portela - Segundo mestre de canto (todos diretores), Claudionor Marcelino, irmão de Galdino José da Costa, Álvaro Sales, Angelino Vieira, Manuel Barbeiro, Alfredo Pereira da Costa, Carminha, Benedito do Braz (componentes). E o segundo bloco formado por crianças. A festeira dona Esther Maria de Jesus, do "Come Mosca", formado exclusivamente por crianças, por ter muita influência na área oficial à época, conseguiu toda a legalização na polícia (registro e permissão de funcionamento) para o bloco sair. O "Come Mosca", por possuir menores, saía apenas durante o dia. O "Baianinhas", que descia à noite para a Praça Onze, levava emprestada a licença do "Come Mosca". O fato fazia com que muita gente confundisse os blocos.
          Em 1926, o "Baianinhas" desapareceu (em conseqüência de brigas internas), e foi fundado, embaixo de uma mangueira, na casa de seu Napoleão (pai de Natal), o Bloco Carnavalesco Conjunto Osvaldo Cruz, tendo como principais cabeças Paulo Benjamim de Oliveira, o Paulo da Portela; Antônio Caetano e Antônio Rufino. As reuniões do bloco eram feitas na casa de Paulo da Portela, na Barra Preta, em Osvaldo Cruz.
          Em 1929, dia 20 de janeiro (dia de Oxossi), Heitor dos Prazeres, um representante do conjunto de Osvaldo Cruz, vence o primeiro concurso entre as escolas de samba e, na volta para Osvaldo Cruz, troca o nome do "conjunto" por Quem nos faz é o capricho. Inconformado, em 1930, Manuel Bam, Bam, Bam assume o controle do grupo e transforma o Quem nos faz é o capricho em Vai como pode. Apesar de ser citado apenas o Vai como pode como o bloco antecessor da Portela, provavelmente os pioneiros são o Baianinhas e "Come Mosca". Por isso, a data de fundação da Escola é 11 de abril de 1923.
          Em 1935, a já consagrada localidade de Osvaldo Cruz, como reduto do samba, também se consagrava com a fundação do G.R.E.S. Portela. A Portela é, hoje, uma das Escolas que possui maior número de campeonatos, totalizando 21. Neste período, fez 2 bicampeonatos, 2 tricampeonatos, 2 tetracampeonatos, 1 pentacampeonato, 1 hexacampeonato e 1 heptacampeonato.
          A Portela - e sua antecessora, sua origem - é tida ( e/ou se tem) como pioneira, em vários aspectos do Carnaval: a primeira escola de samba a utilizar alegorias. Teria feito o primeiro samba-de-enredo (1939 - Teste ao Samba , de Paulo da Portela). Introduziu a comissão de frente uniformizada. Teria sido a primeira a usar corda. Criou a caixa surda e o reco-reco (Adalberto dos Santos, 1929. Aqui, obviamente antes de chamar-se Portela).
          São considerados fundadores: cabeças Paulo Benjamim de Oliveira (Paulo da Portela); Antônio Caetano; Antônio Rufino; Manoel Gonçalves (Manuel Bam, Bam, Bam); Alcides Dias Lopes (Alcides Histórico); José Natalino (Natal); Heitor dos Prazeres, Candinho, Cláudio Manuel e outros.



Enredo: "Bahia e o povo da rua cantando...É feito uma reza, um ritual"

Samba Enredo ao vivo da escola:




Autores: Wanderley Monteiro, Luiz Carlos Máximo, Toninho Nascimento e Naldo 

Meu rei
Senhor do Bonfim alumia
Os caminhos da Portela
Que eu guardo no meu patuá
Eu vim na proteção dos meus guias
Com Clara guerreira à Bahia
Cheguei, eu cheguei pra festejar
Deixa lavar nos altares e terreiros
Tem jarro com água de cheiro
Vou jogar flores no mar

No mar
Procissão dos navegantes (bis)
Eu também sou almirante
De nossa senhora Iemanjá

Vou no gongá
Bater tambor
Rezo no altar
Levo o andor
Vem chegando os batuqueiros
Desce a ladeira, meu amor
Que a patuscada começou
Eu vim pra rua
Onde o samba de roda chegou

Iaiá
De saia rendada em cetim (bis)
Bota o tempero na festa
Oi, tem abará e quindim

Portela cheia de encantos
Acolhe a Bahia em seu canto
Com festas, rezas, rituais
Vestido de azul e branco
Eu venho estender o nosso manto
Aos meus santos do samba que são Orixás

Madureira sobe o Pelô... Tem capoeira
Na batida do tambor... Samba Ioiô (bis)
Rola o toque de Olodum... Lá na Ribeira
A Bahia me chamou

Confira o esquenta da bateria:

Confira as fotos do desfile:






















Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Blogger news

Coloque seu Email aqui:

Delivered by FeedBurner

Blogroll

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to Spanish